29/02/2008

Avaliação psicológica para porte de arma de fogo: contribuições da Prova de Rorschach

Policiais de SP poderão ter avaliação psicológica anual

Os 133.855 policiais civis e militares do Estado poderão ser submetidos a avaliação psicológica pelo menos uma vez por ano, de acordo com proposta defendida pelo ouvidor das Polícias, Antônio Funari Filho, em reunião na Comissão de Estudos da Letalidade, na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Segundo ele, o exame só é feito quando o policial ingressa na corporação.



Para Funari, boa parte dos casos de violência poderia ser evitada se houvesse exame psicológico e tratamento. “Muitas dessas ações foram provocadas pelo stress. O filme 'Tropa de Elite' retrata isso bem e mostra um oficial totalmente desequilibrado. É real.” O filme tem como personagem principal um capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), grupo de elite da PM do Rio, que tem distúrbios emocionais.



Funari vai apresentar a proposta oficialmente nos próximos dias à SSP. A idéia foi reforçada depois que, em dezembro, PMs invadiram a casa de um rapaz de 15 anos, acusado de roubo, e o torturaram com choques, em Bauru, a 343 km da capital. O garoto morreu e a população fez protestos violentos. Outro exemplo de desequilíbrio, segundo o ouvidor, foi o aumento de 44% das mortes de civis atribuídas a PMs em maio de 2007 em relação ao mês anterior. Segundo ele, na ocasião os policiais militares foram orientados a ficar em alerta porque os ataques da quadrilha que age a partir dos presídios paulistas completariam um ano.

22/02/2008

XIII Conferência de Avaliação Psicológica - Vamos?

A XIII Conferência de Avaliação Psicológica será realizada na
Universidade do Minho de 2 a 4 de outubro de 2008. Organização do Dr. Leandro Almeida.

15/02/2008

Artigo novo

Artigo de Condé e Laros, ”Unidimensionalidade e invariância das estimativas de habilidade pela TRI”. Publicado na Revista Avaliação Psicológica do IBAP.


"Frederico Neves Conde e Jacob Arie Laros(Universidade de Brasília), em Unidimensionalidade e a propriedade de invariância das estimativas da habilidade pela TRI, buscaram investigar se estimativas da proficiência realmente independem da dificuldade do teste e, para tanto, analisaram as respostas de 18.806 alunos
da 8ª série do Ensino Fundamental em uma prova de Matemática. Os resultados permitiram aos autores afirmar que a verificação do pressuposto da unidimensionalidade é de suma importância sempre que a TRI é utilizada, a fim de que a propriedade tão desejável da invariância dos parâmetros possa se manifestar".

(Ana Paula Porto Noronha, editorial, Revista Avaliação Psicológica)
Ocorreu um erro neste gadget