28/04/2011

Pré-teste de itens para o SAEB e a Prova Brasil

Inep acaba de concluir o pré-teste das questões que irão integrar o Banco Nacional de Itens do Sistema de Avaliação da Educação Básica e da Prova Brasil
O Globo


RIO - O Inep acaba de concluir o pré-teste das questões que irão integrar o Banco Nacional de Itens do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e da Prova Brasil, cujas provas serão aplicadas no final deste ano. Entre os dias 11 e 15 de abril, 42.500 alunos de dez capitais brasileiras responderam a 1.665 itens de Língua Portuguesa e Matemática. A amostra selecionou participantes do 6º ano do ensino fundamental, do 1º ano do ensino médio e do 1º semestre do ensino superior.
A realização do pré-teste é fundamental para calibrar os itens de acordo com a Teoria de Resposta ao Item (TRI), metodologia estatística usada nas provas. A TRI considera três parâmetros diferentes para sua formação: o grau de dificuldade das questões, de acerto casual e de discriminação dos itens, que assegura que participantes com conhecimentos distintos tenham graus diferentes de acerto. Ao expor os itens a uma população semelhante àquela que irá responder de fato à avaliação, ocorre a definição desses elementos.
A amostra de aplicação do pré-teste contemplou capitais de todas as regiões do país. Participaram estudantes das cidades de Belém (PA), Manaus (AM), Maceió (AL), Salvador (BA), Brasília (DF), Goiânia (GO), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS). A seleção foi feita de acordo com critérios estatísticos estabelecidos pelo Inep.
Como o pré-teste foi aplicado no mesmo ano de realização do Saeb e da Prova Brasil, a calibragem em 2011 foi feita por alunos matriculados nas séries seguintes das avaliadas pelos exames, já que os itens aprovados no pré-teste poderão ser usados ainda neste ano.
Para pré-testar os itens do 5° do ensino fundamental, foram selecionados 13.750 alunos do 6º ano, 1.375 de cada capital participante. Eles responderam 220 questões de português e 275 de matemática. O mesmo número de respondentes foi usado nos itens do 9º ano do ensino fundamental. Mas, nesse caso, as respostas partiram de estudantes do 1º ano do ensino médio.
Ao todo, 585 questões foram pré-testadas, sendo 260 de português e 325 de matemática. A calibragem do 3º ano foi realizada por matriculados do primeiro semestre do ensino superior. A amostra reuniu 15 mil participantes, sendo 1.500 de cada cidade. Os ingressantes da educação superior responderam 260 itens de português e 325 de matemática. A aplicação do pré-teste foi realizada pelo consórcio Cespe/Cesgranrio e coordenada pelo Inep.
O Saeb e a Prova Brasil são dois exames complementares do Sistema de Avaliação da Educação Básica. O Saeb abrange estudantes das redes públicas e privadas do país, localizados em área rural e urbana, matriculados no 5º e 9º anos do ensino fundamental e no 3º ano do ensino médio.
A avaliação é feita por amostragem. Os resultados são apresentados para cada unidade da Federação e para o Brasil como um todo. Para os alunos do 5º e 9º anos do ensino fundamental público, rural e urbano, a avaliação é censitária em escolas que tenham no mínimo 20 alunos matriculados em cada série avaliada. Nesse estrato, a prova recebe o nome de Prova Brasil e oferece resultados por escola, município, unidade da Federação e País.
As médias de desempenho das duas avaliações são utilizadas no cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ferramenta de acompanhamento das metas de qualidade da educação básica.


© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 

27/04/2011

Audiência Pública para debater Atuação do Psicólogo no Sistema Prisional (exame criminológico)

O Conselho Regional de Psicologia da 1ª Região em parceria com a deputada Rejane Pitanga convida a todos para participarem da Audiência Pública para debater A atuação do psicólogo no Sistema Prisional (exame criminológico), que será realizada no dia 28 de abril de 2011, às 10h, no Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal, em Brasília (DF). O CRP entregará certificados para os estudantes que participarem.
A atuação oficial do Psicólogo no exame criminológico no Brasil ocorre desde 1985, com a vigência da Lei de Execução Penal, não havendo nenhum questionamento contra a atividade do Psicólogo por parte da sociedade civil organizada até a presente data.
O exame criminológico é uma avaliação multidisciplinar, previsto em diversas legislações penais internacionais e não possui um caráter punitivo ou disciplinar, eis que nenhuma punição ou sanção disciplinar será aplicada ao sentenciado em razão dos resultados obtidos no exame. Este exame avalia as condições psicológicas do sentenciado por ocasião de sua saída.
Com a Resolução-CFP nº 014/2000, consolidada pela Resolução-CFP nº 013/2007, a realização de exames psicológicos relacionados com o sistema penitenciário passou a ser uma das atribuições do Psicólogo Jurídico.
No entanto, o Conselho Federal de Psicologia, com a Resolução-CFP nº 009/2010, vedou a participação do Psicólogo na realização do exame criminológico, ferindo as atribuições do Psicólogo Jurídico e, ao mesmo tempo, mostrando-se incoerente, pois permite atividades avaliativas pelo Psicólogo por ocasião da inclusão do sentenciado no sistema penal mas, veda a avaliação psicológica por ocasião de sua saída, como se esta última não fosse algo de importância social ou que o Psicólogo não tivesse competência para tal avaliação.
Estamos cientes da situação carcerária nacional e lamentamos que possam haver distorções na Política Criminal Brasileira, com reflexos na realização do exame criminológico e, conseqüentemente, na atuação do Psicólogo Jurídico, mas consideramos que não é com a retirada do Psicólogo deste contexto que o problema se resolverá.
Tal vedação da atuação do psicólogo é tão discrepante que o Ministério Público Federal fez uma Recomendação PRDC/RS nº 01/2010 para sua suspensão, resposta que é, paradoxalmente, uma demonstração de apreço pela atuação dos Psicólogos, sobretudo dos Psicólogos Jurídicos, que tentam conciliar duas áreas do saber: a Psicologia e o Direito, em meio a uma área tão árida da sociedade brasileira que é o seu sistema penitenciário.
Diante deste quadro é de extrema importância a sua participação nesta audiência pública que vai ouvir a sociedade e seus interesses sobre a importância do trabalho dos psicólogos que realizam o exame criminológico no Sistema Prisional.
Participarão da mesa:
a Deputada Rejane Pitanga,
o Secretario de Estado de Segurança Pública do DF, Dr. Daniel Lorenz de Azevedo,
o Secretario de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania do DF, Dr. Alírio Neto,
o Juiz de Direito da Vara de Execuções Penais do DF, Dr. Luiz Martius Holanda Bezerra Junior.
a Promotora de Justiça da 6ª Promotoria de Execuções Penais, Dra Adriana de Albuquerque Hollanda,
o Diretor do Centro de Observação (Co/Sesipe), Dr. Marcio Rivas de Almeida Fischer,
representando o Conselho Regional de Psicologia da 1ª Região, os conselheiros psicólogo Alvaro Pereira Junior e a psicóloga Dilma Costa.

SERVIÇO:
Audiência Pública "A atuação do Psicólogo no Sistema Prisional do Distrito Federal"
Data: 28 de abril de 2011
Horário: 10h
Local: Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal
Contatos: comunicacao@crp-01.org.br
______________________________
Conselho Regional de Psicologia da 1ª RegiãoSRTVN Quadra 701 – Ed. Brasília Rádio Center – Ala A - 4º and. – Sala 4024 – Brasília/DF - CEP 70-719-900
Fone/Fax: (61)  3328-4660 - E-mail: comunicacao@crp-01.org.br – Site: www.crp-01.org.br

20/04/2011

Educação planeja "Prova Macaé" como preparação à "Prova Brasil"

Extraído de: Prefeitura Municipal de Macaé  -  18 de Abril de 2011

Já pensando nos alunos matriculados no 5º e 9º anos, que participam da "Prova Brasil", a Secretaria Municipal de Educação (Semed) planeja aplicar a "Prova Macaé", como maneira destes alunos se prepararem ao longo do ano letivo. A "Prova Brasil" tem como objetivo avaliar a qualidade do ensino através de testes em que os estudantes respondem a questões de Língua Portuguesa e Matemática.
Os dados levantados com o exame são utilizados para auxiliar no calculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que considera também dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e a média de desempenho em outra avaliação, o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Tudo para melhorar a qualidade do ensino básico, meta do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) do Governo Federal.

Sendo assim, os alunos da rede municipal receberiam aulas de reforço de Português e Matemática durante o contraturno, onde, além de exercícios, eles ainda teriam a chance de se preparar através da resolução de provas anteriores. Já as avaliações da "Prova Macaé" seriam aplicadas também duas vezes ao ano, antes da "Prova Brasil", em novembro.

- O objetivo da "Prova Macaé" é exatamente servir de preparação e, por isso, também inclui aulas de reforço durante todo o semestre, com exercícios focando a "Prova Brasil". Além disso, a "Prova Macaé" será aplicada em duas ocasiões, em julho e outubro, servindo de simulação para a "Prova Brasil". Tudo para que os alunos estejam mais preparados e não sofram impactos comuns em avaliações como esta - diz o secretário de Educação, Guto Garcia.

De acordo com Guto Garcia, a "Prova Macaé" permitirá aos professores verificarem a aprendizagem de alunos e se eles estão, de fato, preparados para o desafio da "Prova Brasil": "Através da avaliação poderemos identificar os problemas dos estudantes, auxiliar os professores a definirem estratégias pedagógicas para superá-los, apoiar a prática docente e oferecer subsídios aos profissionais da Educação", finaliza o secretário de Educação.

19/04/2011

Enem vai substituir Enade para os alunos que estão entrando no curso superior


O Globo, 18/04/2011 - Rio de Janeiro RJ
Agência Brasil

BRASÍLIA - A partir deste ano, os alunos que tiverem participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2009 ou 2010 não serão obrigados a fazer a prova do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que é aplicado a alunos ingressantes e concluintes de cursos superiores de instituições públicas e particulares. Na edição deste ano, cujas provas estão marcadas para 6 de novembro, serão avaliadas 26 graduações e cursos tecnológicos. A substituição vai valer apenas para os alunos que estão entrando no curso superior. A substituição do Enade de ingressantes pelo Enem é uma demanda antiga das instituições de ensino. A participação no Enade é obrigatória - quem não comparece fica impedido de colar grau ao final do curso - mas o desempenho do aluno na prova não interfere no seu currículo. Sem esse compromisso, as instituições defendiam que a nota do curso ficava comprometida.
O Enade é aplicado a ingressantes e concluintes de cursos superiores para avaliar a qualidade do ensino oferecido pelas instituições a partir do "valor agregado" pelo estudante ao longo da formação. A nota obtida pelos alunos é utilizada  no cálculo de vários indicadores de qualidade que são utilizados para regular a oferta de ensino no país. O Ministério da Educação (MEC) calcula que 1,2 milhão de alunos estão aptos a participar do exame em 2011.
A inscrição dos alunos é de responsabilidade da instituição e deve ser feita de 18 de julho a 19 de agosto pela internet. São considerados alunos ingressantes aqueles que tenham iniciado o curso em 2011. Já os concluintes são aqueles que tenham expectativa de formatura em 2011 ou que tiverem cursado mais de 80% da carga horária mínima do currículo. Apesar de dispensados da prova, os ingressantes que tiverem participado do Enem devem ser inscritos no Enade normalmente, para efeito de cadastro. De acordo com o MEC, a dispensa tem como objetivo reduzir custos e dar eficácia à aplicação da prova. A economia será de aproximadamente R$ 30 milhões. Outro motivo para fazer essa substituição é que o Enade de ingressante, por ser aplicado no fim do primeiro ano letivo, não aferia as habilidades e conhecimentos adquiridos pelo aluno desde sua entrada até o segundo  semestre do curso. No Enade, os alunos que não comparecem no dia da prova ficam em situação irregular no MEC e precisam esperar uma nova edição do exame para obter o diploma. Outra novidade, a partir deste ano, é que o estudante nessa situação não precisará fazer a prova, basta que a instituição de ensino faça sua inscrição e o caso fica regularizado. Em 2011, serão avaliados os cursos superiores em arquitetura e urbanismo, engenharia, biologia, ciências sociais, computação, filosofia, física, geografia, história, letras, matemática, química, pedagogia, educação física, artes visuais e música. Também participam do Enade os alunos de cursos técnicos em alimentos, construção de edifícios, automação industrial, gestão da produção industrial, manutenção industrial, processos químicos, fabricação mecânica, análise e desenvolvimento de sistemas, redes de computadores e saneamento ambiental. A portaria com as regras do Enade 2011 foram publicadas nesta segunda-feira (18), no Diário Oficial da União.

18/04/2011

Prova do Enade será aplicada no dia 6 de novembro, informa portaria do MEC


O Tempo, 18/04/2011 - Belo Horizonte MG
DA REDAÇÃO

A prova do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) deste ano será realizada no dia 6 de novembro, informa portaria do Ministério da Educação publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (18). A prova será aplicada às 13h (horário de Brasília) e as inscrições serão abertas em 18 de julho e encerradas no dia 19 de agosto. Serão avaliados alunos dos cursos de arquitetura e urbanismo, engenharia, biologia, ciências sociais, computação, filosofia, física, geografia, história, letras, matemática, química, pedagogia, educação física, artes visuais, música, tecnólogo em alimentos, construção de edifícios, automação industrial, gestão da produção industrial, manutenção industrial, processos químicos, fabricação mecânica, análise e desenvolvimento de sistemas, redes de computadores e saneamento ambiental. Ainda de acordo com a portaria, alunos que vão colar grau até o dia 31 de agosto deste ano ou que estiverem realizando alguma atividade estra-curricular no exterior na data do exame estão dispensados. Alunos de qualquer outro curso que não esteja relacionado na portaria também estão dispensados.

11/04/2011

Curso - Análise do Comportamento Aplicada (ABA) para pais e cuidadores

Divulgação de curso promovido pelo Instituto Waden4

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento: Curso Prático para Pais e Cuidadores

Público alvo:
Pais e cuidadores de crianças, jovens e adultos diagnosticados com Transtorno Invasivo do Desenvolvimento (TID).

Objetivos do curso:
Promover o desenvolvimento de habilidades e competências que permitam a pais e cuidadores: (1) dar continuidade, em casa e em seus meios sociais, ao trabalho desenvolvido por profissionais com seus filhos; (2) Identificar a função dos comportamentos e utilizar esse conhecimento em prol do desenvolvimento de seus filhos; (3) Avaliar de forma objetiva o desenvolvimento de seus filhos.

Estrutura e estratégias didáticas:
Serão realizados encontros quinzenais com turmas formadas por 2 instrutores e 7 alunos. Nos encontros serão desenvolvidas atividades práticas como simulações, análises de vídeos, estudos de caso e construção de materiais pedagógicos e planilhas de avaliação comportamental. Paralelamente às atividades práticas, serão apresentadas explicações breves sobre o embasamento teórico dos tópicos estudados - em consonância com os princípios da abordagem psicológica Análise do Comportamento (a mesma que embasa o Método ABA).

O curso foi concebido para ser de fluxo contínuo, isto é, os alunos podem ingressar, sair ou retornar a qualquer momento sem prejuízo ao acompanhamento do mesmo: as atividades de cada encontro, eminentemente práticas, serão baseadas nas demandas apresentadas pelos alunos, possibilitando a esses a aplicação direta dos conteúdos aprendidos e a troca de experiências entre os participantes. Os encontros, quando autorizado por todos os participantes, poderão ser filmados para consultas futuras.

Investimento:
Taxa de inscrição: R$ 50,00
   > Pagamento antecipado para reserva de vaga - Clique aqui para acessar o formulário de interesse  (e acessar demais informações para contato)
Mensalidade: R$ 290,00
   > Pagamento realizado no primeiro encontro (cheque ou dinheiro)

Início do curso: 16 de abril de 2011
Horário: 14:30 às 17:30, sempre aos sábados, quinzenalmente
Local: Setor Terminal Norte, Conjunto “M”, Entrada B, Ed. Vital Brasil, Sala 255 (1º Andar) – Asa Norte, Brasília-DF, CEP 70770-909.

Instrutores:
Márcio Borges Moreira, Psicólogo, Doutor em Ciências do Comportamento, CRP 15515
Gleidson Gabriel da Cruz, Psicólogo, CRP 14812
Maisa Moreira, Psicóloga, CRP 10977

09/04/2011

Mais de 10 mil alunos participam da Provinha Brasil no Tocantins



Fonte:  Portal Stylo
Divulgação
Para alguns fácil. Para outros, nem tanto. Foi assim que alunos de Palmas avaliaram o grau de dificuldade da Provinha Brasil aplicada nesta quinta-feira, 5, em todo o país.

Na Escola Estadual Novo Horizonte, 125 alunos responderam às questões da provinha no período matutino. Para a estudante Letícia Duarte, de 7 anos, a prova “foi moleza”. Ela acredita que mesmo não tendo estudado especificamente para a avaliação tenha se saído bem. “Eu acho que vou tirar nota boa”, reponde confiante.

Segundo a diretora da unidade escolar, Shirlene Rodrigues, a expectativa é que a partir dos resultados apontados pela Provinha seja possível adequar o conteúdo trabalhado em sala de aula. “Essa avaliação é uma ferramenta preciosa, no que diz respeito ao diagnóstico do nível de alfabetização dos alunos, já que em algumas turmas temos alunos em diversos níveis e a partir disso podemos trabalhar as dificuldades individualmente, quando for ao caso”, explica. 

Já para, Tamara Abreu, estudante da Escola Estadual Vale do Sol, localizada na região Sul da capital, a prova não foi tão fácil. “Eu achei um pouco difícil, teve umas (questões) que eu não sabia direito, mas respondi tudinho”, descreve. De acordo com professora Marli da Silva, na Escola Vale do Sol “a aplicação das provas foi tranqüila”. Segundo a educadora, os alunos não tiveram grandes dificuldades na hora de responder às questões. “Nós já vínhamos trabalhando com eles tanto o conteúdo como psicologicamente desde os primeiros dias de aula, tanto que eles terminaram a prova antes das duas horas de aplicação como estava previsto”, relata.

A Provinha Brasil é uma avaliação nacional e tem como objetivo diagnosticar o nível de alfabetização das crianças matriculadas no 2º ano do ensino fundamental. A prova é aplicada em duas etapas, uma no início e a outra ao término do ano letivo, o que possibilita a realização de um diagnóstico conciso.

No Tocantins, mais de 10 mil alunos da rede estadual de ensino estão sendo avaliados pela prova. A responsabilidade da aplicação é da Secretaria Estadual da Educação (Seduc), que pretende superar, neste ano, os resultados alcançados em 2010, quando 44,90% dos alunos avaliados demonstraram dominar a escrita e compreender o sistema de alfabetização.

Escolas do interior
Em Gurupi, região Sul do Estado, 23 alunos da Escola Estadual Francisco Enrique de Santana, participaram da prova no período da manhã. De acordo com a coordenadora pedagógica da unidade escolar, Maria Nazaré, a aplicação aconteceu sem problemas. “Nenhum dos alunos faltou e acreditamos que tenham se saído bem”, avalia.

À tarde, a partir das 13h30 é a vez dos estudantes da Escola Estadual Marechal Rondon responderem a prova. “Os alunos estão preparados e esperamos que eles não tenham dificuldade para fazer a avaliação”, conta a coordenadora pedagógica da escola, Gecília Arruda. Segundo ela os resultados obtidos serão utilizados na adequação do planejamento das aulas. “No caso dos alunos que apresentarem baixo desempenho a escola vai trabalhar com o reforço para que eles possam acompanhar a turma”, explica.

Segunda Etapa

A segunda etapa da Provinha Brasil está marcada para agosto e este ano conta uma novidade: a aplicação da Provinha Brasil de Matemática. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as avaliações vão permitir que as crianças tenham seus conhecimentos de alfabetização avaliados tanto em língua portuguesa quanto em matemática. (Da Ascom/Seduc)

Inep inicia pesquisa para saber como os formados estão no mercado de trabalho

Assessoria de Imprensa Inep/MEC

O Inep começa hoje, dia 1°, um estudo inédito para identificar como os formados no ensino superior estão no mercado de trabalho. A pesquisa sobre emprego e empregabilidade será enviada por e-mail para os participantes do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2005 e 2008. Eles terão até o dia 29 de abril para informar, entre outras coisas, como o currículo acadêmico ajudou na formação profissional. O formulário é composto por dezesseis questões e leva em média cinco minutos para ser respondido. Das perguntas, duas são subjetivas e possibilitarão ao candidato sugerir melhorias para o curso estudado. O concluinte que não receber a pesquisa poderá respondê-la na páginahttp://questionarioEgresso.inep.gov.br.
Ao acessar o sistema, será preciso informar o CPF, o nome e a unidade da Federação da instituição de ensino superior, mais o curso estudado. As informações serão validadas nas bases da Receita Federal e do Inep. A pesquisa não divulgará respostas individuais.
A iniciativa integra o estudo qualitativo do segundo ciclo avaliativo do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), dos anos 2005 e 2008. Esse estudo é composto por quatro variáveis que permitem medir pontualmente a evolução dos cursos, são elas: as médias do Enade, do Conceito Preliminar de Curso (CPC), os relatórios de autoavaliação realizados pelas instituições e, a partir deste ano, o perfil dos egressos.  Os resultados deverão ser divulgados no segundo semestre deste ano. Em breve, as informações do primeiro ciclo avaliativo, anos 2004 e 2007, estarão disponíveis na página do Inep.
Em 2005 e 2008, o Enade avaliou os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Ciências Sociais, Computação, Engenharia (dividida em oito grupos), Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia e Química. No último ano foram acrescentados os cursos superiores de tecnologia em: Construção de Edifícios, Alimentos, Automação Industrial, Gestão da Produção Industrial, Manutenção Industrial, Processos Químicos, Fabricação Mecânica, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Redes de Computadores e Saneamento Ambiental. Em 2011, essas áreas serão avaliadas novamente.


Ocorreu um erro neste gadget